… Bruno da Cunha

Culturismo-pt: Boa tarde, Bruno!
Obrigado por teres aceitado o nosso convite.

Bruno da Cunha: Obrigado, eu, pelo convite. É uma honra para mim puder partilhar a minha experiência com tantos outros que amam este desporto.

Culturismo-pt: O que apareceu primeiro: o teu gosto pelo Culturismo ou o teu gosto pela musculação?

Bruno da Cunha: O gosto pela musculação. Como comecei a praticar desporto muito novo, e o desporto que fazia, tinha uma parte muito importante no ginásio, foi a partir daí que o “bichinho” pela musculação foi crescendo.

Culturismo-pt: Qual era o desporto que praticavas?

Bruno da Cunha: Canoagem de co

mpetição. Pratiquei durante 15 anos.

Culturismo-pt: Algo bastante diferente! Como chegaste, então, ao Culturismo?

Bruno da Cunha: Como tinha dito, o gosto pela musculação foi aumentando ao longo dos anos, e como via o meu corpo em desenvolvimento e gostava do resultado, comecei a dedicar-me mais à musculação por gosto pessoal; não para competir. Já seguia alguns atletas, mas nunca tinha imaginado de que um dia poderia vir a ser um deles também.

Culturismo-pt: Esses atletas tornara

m-se as tuas referências?

Bruno da Cunha: Sim, ainda hoje. Acredito que todos digam quase o mesmo… Sem dúvida, o Arnold Schwarzenegger é uma fonte de inspiração até pela sua história de vida.

Culturismo-pt: E, porque é que decidiste ir competir?

Bruno da Cunha: No ginásio que andava, na altura que cá em Portugal começou a aparecer os Men’s Physique (para ser sincero, nem sabia bem o que 

era; era uma novidade ainda), disseram-me que poderia “encaixar-me” bem num perfil assim. Até esse dia, eu não fazia ideia o que era uma dieta. Lá fiquei a “namorar” a ideia e, mais tarde decidi, então: porque não, amor pela musculação? Posso tirar, com isto, mais conhecimento para mim, evoluir mais e é uma coisa que faço com o maior gosto. Assim, juntei o útil ao agradável.

Culturismo-pt: Qual é a principal diferença entre a Canoagem e o Culturismo, em termos de preparação?

Bruno da Cunha: Alimentação, sem dúvida.

Culturismo-pt: Muitos atletas dizem que essa é a parte mais difícil deste desporto que é o Culturismo – a dieta. Também é aquela que mais te custa?

Bruno da Cunha: Sim. Para mim, também é a parte mais difícil. Treino é a parte mais fácil. Gosto muito de comer e não puder comer tudo o que gosto, torna as coisas menos fáceis. Mas, quando se quer muito uma coisa, consegue-se, por isso, foco-me no que tem de ser.

Culturismo-pt: As famílias nem sempre ajuda

m nesse aspecto. Também te acontece o mesmo?

Bruno da Cunha: Nesse aspecto, posso dizer que sou um privilegiado. A minha família apoia-me incondicionalmente.

Culturismo-pt: Achas que o facto de teres estado sempre ligado à competição, fê-los adaptarem-se facilmente ao Culturismo?

Bruno da Cunha: Sempre tive o apoio da minha família em todas as decisões que tomei na minha vida, mas o facto de me verem sempre num registo de competição desportiva toda a minha vida, poderá ter sido um factor para aceitarem mais rapidamente.

Culturismo-pt: Estás bastante familiarizado com a competição. És uma pessoa competitiva?

Bruno da Cunha: Sim, sou. Gosto de ganhar. Não podemos estar com hipocrisias. Luto por algo que acredito, que amo. Quero ser melhor todos os dias, mas a maior competição é comigo mesmo; não quero falhar em nada.

Culturismo-pt: Já tens mais medalhas de Culturismo do que de Canoagem?

Bruno da Cunha: Tenho mais medalhas de canoagem, ainda, mas mais “títulos” no culturismo.

Culturismo-pt: Quais os títulos que já alcançaste, no Culturismo?

Bruno da Cunha: Campeão absoluto da AFD, campeão absoluto da Taça Carlos Rebolo, vice-campeão da Europa, vice-campeão Mr. Olympia Amador, medalha de bronze no Campeonato do Mediterrâneo, 4º lugar no Arnold Classic.

Culturismo-pt: Sabes quantas provas já fizeste?

Bruno da Cunha: 8 provas

Culturismo-pt: Por quais títulos vais lutar em 2017?

Bruno da Cunha: Quero a medalha de ouro e o cartão PRO-Card. É por isso que vou lutar.

Culturismo-pt: Muitos atletas têm o sonho de conseguir esse PRO-Card. Este também é um dos teus desejos, portanto?

Bruno da Cunha: Sim, quero muito chegar à liga PRO. Se existe alguma coisa que me faz sentir realizado é este desporto. Quantas pessoas se querem encontrar a si próprias? Eu posso dizer que, com este desporto, me encontrei; mudou a minha vida.

Culturismo-pt: Foi a maior alegria que este desporto te deu foi isso: teres-te encontrado?

Bruno da Cunha: Sim. Diria até melhor: afirmo isso.

Culturismo-pt: Men’s Physique será sempre o teu registo?

Bruno da Cunha: Sim. Olhando para o meu corpo, diria que não somos nós que escolhemos a categoria mas sim, é a categoria que nos escolhe.

Culturismo-pt: De todos os resultados que tiveste, qual foi o que mais te surpreendeu?

Bruno da Cunha: O Campeonato Europeu 2016, pois era a minha estreia numa prova internacional. É aquela que é considerada uma das mais difíceis e, numa categoria com cerca de 40 atletas, não sabia mesmo o de esperar. Posso afirmar que estava cheio de medo.

Culturismo-pt: Quando soubeste que estavas no TOP 6, respiraste de alívio ou acabaste por ficar mais nervoso?

Bruno da Cunha: Foi uma mistura de emoções que não consigo descrever: alívio, medo, alegria, nervos.

Culturismo-pt: Com o aumento da experiência, esses sentimentos passam ou ainda se tornam mais intensos?

Bruno da Cunha: Ficam mais intensos, porque aumenta a responsabilidade e a exigência connosco mesmos.

Culturismo-pt: Entraste na Selecção Elite 2017. Como é estar entre os melhores a nível nacional?

Bruno da Cunha: É o que qualquer atleta deseja: puder representar o nosso país é um orgulho para mim.

Culturismo-pt: Também é uma grande responsabilidade. Qual vai ser a tua primeira prova deste ano?

Bruno da Cunha: Sim, sem dúvida, uma grande responsabilidade. A minha primeira prova este ano será o Europeu.

Culturismo-pt: Estás pronto para trazer a medalha de ouro?

Bruno da Cunha: Quero muito. Quero mesmo muito! Estou a dar o melhor de mim para conseguir superar o que fiz no ano passado. Mas, tal como eu, estão todos a dar o melhor de si para conseguirem o mesmo. Seja o que Deus quiser.

Culturismo-pt: Certamente vais conseguir porque, diz-me: como é o interior do Bruno da Cunha?

Bruno da Cunha: O Bruno da Cunha é uma pessoa normal, com defeitos e virtudes, com sonhos pelo qual luta.

Culturismo-pt: E eu tenho a certeza que vais conseguir chegar onde anseias porque, sem dúvida, tens conseguido coisas extraordinárias.

Bruno da Cunha: Muito obrigado. Vou trabalhar para isso. Pode demorar o tempo que for necessário, mas desistir nunca.

Culturismo-pt: Muito obrigado por este tempinho que me disponibilizaste, Bruno. Foi um gosto conhecer-te um pouco melhor! Obrigado, mesmo.

Bruno da Cunha: Muito obrigado, mais uma vez por este convite. Continuem assim, a fazer o enorme trabalho e a crescerem como têm vindo a fazer. Parabéns!

 

Para seguir mais de perto o trabalho do Bruno da Cunha, ficam:
Facebook: https://www.facebook.com/brunodacunhamensphysique/?ref=br_rs
Instagram: @brunodacunha_biotechusa

 

 Texto: Dud@
Fotografia: NunoBaptista.com